Pascal Ackermann conquista mais uma vitória na quinta etapa do Giro d’Italia 2019

O velocista alemão prova seu valor em condições brutais

Pascal Ackermann silenciou os que duvidaram da sua vitória no segundo estágio do Giro d’Italia 2019.

O velocista alemão estava determinado a vencer quando fechou o rival Fernando Gaviria (Emirados Árabes Unidos) e passou muito rápido para vencer a quinta etapa.

As condições traiçoeiras significavam que os favoritos à CG fossem neutralizados antes da final, permitindo que os velocistas lutassem pela etapa em Terracina enquanto os favoritosapenas observavam.

Primož Roglič mantém a liderança por mais um dia, com Tom Dumoulin (Sunweb), favorito antes da corrida, abandonando com 1,5km de etapa, devido a uma lesão no joelho sofrida em um acidente no estágio quatro.

Depois que os acidentes causaram mais caos no final do estágio quatro, um pelotão nervoso se preparou para o início da chuva e do frio em Frascati para a conclusão do estágio cinco.

O dia estava previsto para o terceiro sprint do Giro d’Italia 2019, com a forte escalada no início do estágio antes de uma corrida longa e plana até o final em Terracina, após 140km de corrida.

Mas antes de se concentrar no circuito técnico de finalização, o pelotão teve que lidar com as colinas, começando do quilômetro zero com a subida sem classificação até Rocca Priora, que chegou depois de 8 km do início.

Condições traiçoeiramente molhadas na descida foram seguidas por outra subida não classificada para Rocca di Papa a 25km.

Depois de chegar ao topo, o grupo então correu para baixo antes de um percurso de 40 km até a montanha de categoria quatro, subindo para Sezze a 87 quilômetros do fim.

Essa ascensão sinalizou o fim da subida, pois o pelotão então aceleraria com todo o gás ao longo dos 40 km de corrida até o final.

Os principais desenvolvimentos começaram no início do dia, quando Tom Dumoulin abandonou a corrida a apenas 1,5km da seção neutralizada após sua lesão durante um acidente no final do estágio quatro.

O holandês fugiu de problemas a 5 km do final em Frascati e tentou continuar a corrida, mas a dor da lesão no joelho esquerdo forçou o vencedor de 2017 a sair quase imediatamente no quinto dia.

A fuga de cinco ciclistas se formou na abertura de 5 km de corrida, com Ivan Santaromita (Nippo-Vini Fantini-Faizané), Umberto Orsini, Enrico Barbin (Bardiani-CSF), Miguel Florez (Androni Giocattoli-Sidermec) e Louis Vervaeke (Sunweb) todos sendo autorizados a pedalar de forma clara.

O líder da classificação do Rei da Montanha, Giulio Ciccone (Trek-Segafredo) também entrou nessa fuga, mas optou por se juntar novamente ao pelotão depois de 15 km de corrida.

A quebra foi mantida dentro do alcance do pelotão, já que os fugitivos tiveram uma vantagem máxima de dois minutos.

As condições meteorológicas desagradáveis ​​tiveram um enorme impacto na corrida, com os ciclistas lutando para se manterem aquecidos e no controle das estradas molhadas.

Isso levou Roglič e o bi campeão, Vincenzo Nibali (Bahrain-Merida), a apelar para os organizadores da corrida, encorajando-os a neutralizar o resultado geral da classificação antes do final para a segurança dos ciclistas.

Influenciados pelos acidentes que já mudaram a natureza na luta pela classificação geral, os comissários concordaram em tirar os tempos dos ciclistas do primeiro cruzamento da linha de chegada, permitindo que os velocistas lutassem pela vitória na última volta em Terracina.

O pelotão recuou vagarosamente a fuga de volta para um minuto, quando Vervaeke lançou um ataque solo com 50 km da linha de chegada, deixando seus companheiros para serem arrastados pelo pelotão a 35km.

A tentativa corajosa de Vervaeke em seu ataque solo inevitavelmente falhou quando o belga foi pego pelo grupo, faltando 25 km até a linha.

A chuva só piorou quando a corrida cruzou a linha pela primeira vez, com as equipes da CG se sentando e sabendo que seus tempos estavam seguros e os sprinters pressionadas em seu próprio pelotão.

Bora-Hansgrohe, Lotto-Soudal e Groupama-FDJ foram os mais proeminentes à frente da corrida, já que Elia Viviani (Deceuninck – Quick-Step) e Gaviria ficaram para trás com menos companheiros de equipe.

A Academia de Ciclismo de Israel também foi motivada e liderou o ritmo dentro dos últimos 5 km.

Viviani finalmente se posicionou na frente do pelotão a 2 km da linha, com dois ciclistas a apoiá-lo.

A Quick-Step liderou a corrida na faixa de 1 km, com Démare mais proeminentemente colocado com água pulverizada sob as rodas.

Gaviria foi o primeiro a atacar visando a linha, com Viviani incapaz de segui-lo e rapidamente recuando.

Mas Ackermann foi capaz de se posicionar na sombra do colombiano, depois de um confronto próximo com um ciclista da FDJ.

Aos 50m, Ackermann atacou de novo e passou por Gaviria para conquistar sua segunda vitória em etapas no Giro 2019, depois de sua vitória na segunda fase.

Gaviria ficou em segundo lugar, pois Démare estava mal posicionado quando o sprint se desdobrou, mas conseguiu se recuperar para ficar em terceiro.

O Giro continua com um duro dia de escalada na etapa seis, mais de 238 km de Cassino a San Giovanni Rotondo, recebendo três grandes subidas sem classificação no início do dia, antes da montanha de segunda categoria de 30 km de extensão e uma corrida plana de 5 km para a linha de chegada.

 

Resultados

5ª epata do Giro d’Italia 2019: Frascati para Terracina (140km)

  1. Pascal Ackermann (Ger) Bora-Hansgrohe, em 3-27-05
  2. Fernando Gaviria (Col) UAE Team Emirates
  3. Arnaud Démare (Fra) Groupama-FDJ
  4. Caleb Ewan (Aus) Lotto-Soudal
  5. Matteo Moschetti (Ita) Trek-Segafredo
  6. Ryan Gibbons (RSA) Dimension-Data
  7. Paolo Simion (Ita) Bardiani-CSF
  8. Jenthe Biermans (Bel) Katusha-Alpecin
  9. Giovanni Lonardi (Ita) Nippo-Vini Fantini-Faizanè
  10. Manuel Belletti (Ita) Adroni Giocattoli-Sidermec, todos ao mesmo tempo

 

Classificação geral após a 5ª etapa

  1. Primož Roglič (Slo) Jumbo-Visma, em 19-35-04
  2. Simon Yates (GBr) Mitchelton-Scott, 25”
  3. Vincenzo Nibali (Ita) Bahrain-Merida, 39”
  4. Miguel Ángel López (Col) Astana, 44”
  5. Diego Ulissi (Ita) UAE Team Emirates, ao mesmo tempo
  6. Rafał Majka (Pol) Bora-Hansgrohe, 49”
  7. Bauke Mollema (Ned) Trek-Segafredo, 55”
  8. Damiano Caruso (Ita) Bahrain-Merida, 56”
  9. Bob Jungels (Lux) Deceuninck – Quick-Step, 1’02”
  10. Davide Formolo (Ita) Bora-Hansgrohe, 1’06”

Chris Anderson

R&D da LIKE bikes, ciclista e mecânico de bicicletas.